segunda-feira, 5 de abril de 2010

História Batista 1

Não Seremos entendidos se não formos Conhecidos

Vejamos que a nossa história diz muito sobre a prática batista moderna e evangélica fiel aos princípios que o Nosso Senhor deixou para sua igreja. Baseado no relato do historiador A.G. Dickens, no seu livro A Reforma, pg 131- 140-141, queremos chamar atenção:

=> “...Os anabatistas não tinham nenhum chefe espiritual, ...” - esse é um fundamental entendimento para todos nós. Cristo é o chefe das igrejas. Jesus é o Senhor de todas elas. Nesse relato se faz menção a chefes espirituais humanos. Os princípios, cultura, costumes etc, são baseados nos seus ensinamentos de forma a estabelecê-los na prática dos discípulos dEle. As igrejas imitaram e devem hoje imitar, reproduzir na prática os ensinos que o Mestre deixou. Hoje há muitos mestres, mas o Mestre das igrejas neotestamentárias é o próprio Jesus de Nazaré. Mestres contando histórias, mas que não devem ser chamados de mestres, pois o que Cristo nos ordenou é ensinar o que ele ensinou e imitar. Não devemos ensinar interpretações particulares, mas reproduzir os seus ensinos, inclusive na vida da igreja. Aliás ele ordenou que ninguém seria nosso Mestre, mas todos irmãos: “Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos.”(cf Mat 23:8). Percebamos que o Mestre não deixou-nos outro mestre sucessor, mas incubiu aos seus representantes a repassar os seus ensinamentos aos novos alunos conforme dita seu comando: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado;” – Mateus 28:19-20ª. Cristo deixou o Espírito da verdade que guiar-nos-ia em toda ela.

Postado por Missão Batista do Caminho em 8/15/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário