quarta-feira, 30 de junho de 2010

Datas Importantes-4

OS SÉCULOS XVI E XVII d.C.
1. A época de renascença e reforma.

A. 1453 d.C. Fim da guerra dos cem anos entre França e Inglaterra. Também os turcos tomaram Constantinopla.
B. 1497-1499 d.C. Vasco de Gama navegou para Índia.
C. 1500 d.C. Descoberta do Brasil.
D. 1509 d.C. Reino de Henrique VIII em Inglaterra.
E. 1517 d.C. Martinho Lutero publica suas 95 Teses em Wittenburg.
F. 1519 d.C. Zwingli e a reforma suíça.
G. 1532 d.C. Henrique VIII separa a Igreja Anglicana do controle romana.
H. 1620 d.C. Os "peregrinos" foram para o mundo novo no Mayflower.
I. 1638 d.C. A primeira igreja Batista na América do norte.


2. As igrejas verdadeiras neste período.

A. Anabatistas. Re-batizadores.
1. Desde os novacianos, quem batizava "de novo" era um anabatista. Os anabatistas rejeitaram batismo infantil, ou a pessoas não crentes.
2. É verdade que no tempo da reforma protestante, todos que rejeitaram as igrejas estatais ou oficiais foram chamados anabatistas, e no meio deles tinham igrejas falsas e radicais. É como no dia de hoje; o apelido evangélico inclui igrejas diferentes como pentecostais, carismáticos, etc.
3. Havia pseudo-anabatistas como Tomás Munzer que liderou uma revolta política, mas nunca foi batista,morreu como luterano.
4. As doutrinas dos anabatistas eram batistas.
5. Os anabatistas do tempo da reforma eram descendentes dos Valdenses, novacianos, albigenses, irmãos boêmios, etc.
6. John Lawrence von Mosheim, o "Pai da História Eclesiástica Moderna," era Luterano. Ele escreveu sobre os anabatistas: "A origem dos Anabatistas é perdida nas profundezas remotas de antigüidade antes da ascendência de Lutero ou Calvino, jaziam escondidas em quase todos os países da Europa, pessoas que tenazmente aderiram aos princípios dos Batistas holandeses modernos." (Mosheim, Institutes of Ecclesiastical History, II, pp. 119-120).

B. Batistas ingleses.
1. Há alguns historiadores que querem provar que batistas são fruto da reforma protestante, dizem que começamos com o movimento Brownista ou Separatista (Congregacionalistas, 1582-1584) ou com John Smyth (1609). Estão errados. 2. Já havia igrejas primitivas em Inglaterra com as nossas doutrinas, antes da chegada do catolicismo e muito antes da formação da igreja Anglicana de onde os separatistas e congregacionalistas saíram.
3. Jonathan Edwards escreveu: "Deus teve prazer em manter uma sucessão ininterrupta de muitas testemunhas durante o tempo todo em Alemanha, França e Bretanha..." (Edwards, Works, I, p. 596).

4. Muitos crentes do continente procuraram refúgio em Inglaterra nos tempos medievais. O arcebispo de Canterbury chamado Lanfranc, (1005-1089), reclamou contra estes, dizendo que "os Valdenses (vieram) ...à Inglaterra para propagar o evangelho...e foram achados em Herefordshire e South Wales." (Benedict, History of Baptists, pp. 302-303).
5. Depois da chegada do missionário católico, Austin, os batistas já existentes foram divididos em dois grupos: os velhos e os novos. Muitos dos velhos, por causa da perseguição, ficaram nas montanhas de Gales. Sua história é muito empolgante, especialmente os irmãos de Olchon. Muitos pastores desta região foram para América.
6. Além dos irmãos que vieram do continente, e estes batistas velhos, havia outros descendentes dos Lolardos.

7. As igrejas batistas foram divididas entre dois tipos, teologicamente:
a. Tipo calvinista. Havia possível influência dos Puritanos e outros protestantes, inclusive os Quaker, que separaram da Igreja Episcopal Anglicana.
b. Tipo geral. Creram que Jesus morreu para todos. Rejeitaram alguns pontos do calvinismo.

Fonte: Sola Scriptura

Nenhum comentário:

Postar um comentário