quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Discipulado

Jesus estabeleceu as regras que determinam quem pode e quem não pode ser discípulo dEle.

Se observarmos, por exemplo, Lucas 14:33, entenderemos que os oportunistas, os arraigados neste mundo, os cativos dos valores deste século NÀO PODEM SER discípulos de Jesus.

O missionário Paulo (servo e apóstolo de Jesus Cristo) demonstrou em sua própria vida esse ensinamento de Jesus. Observe o que Paulo declarou em Filipenses 3.

Ou seja, o que poderia ser vantagem para ele (fariseu, benjamita, hebreu, circuncidado ao oitavo dia, educado aos pés de Gamaliel, etc), tornou-se "refugo", "lixo", "coisa de nenhum valor". Ele não refugou a fé que tinha em Javé (em Deus) a qual foi aperfeiçoada e purgada dos elementos humanos a partir da rendição de Paulo a Cristo – por isso é que ele gostava de se ver como escravo (“servo”, dulos em grego koiné) de Cristo, o comprado por sangue, etc.

Os discípulos de Jesus vivem em um contexto de comunhão amorosa e é exatamente isso que os define (coletivamente) como igreja. (João 13:35). Nesse ambiente amoroso sob forte identidade (lealdade, adesão, semelhança) com Cristo, os discípulos frutificam (João 15:8) os frutos que agradam a Deus (Romanos 6:22; II Coríntios 9:10; Efésios 5:9; Filipenses 1:11; Tiago 3:18).

Mas, quem estabelece as regras desse discipulado é Jesus. Ele é o Senhor da Igreja (veja Efésios) e Cabeça da Criação (veja Colossenses) enquanto que a Igreja é o seu Corpo (veja Coríntios).

Fugir a essas regras é cair em desobediência bem ao estilo das atitudes luciferinas de Satanás. Por isso é que existem "sinagogas de satanás" (Apocalipse 2:9); falsos irmãos, falsos mestres, falsos cristos, falsos profetas, falsos apóstolos, obreiros fraudulentos e inimigos da cruz de Cristo (Mateus 7:15; 24:24; Filipenses 3:18; I Coríntios 5:11; II Coríntios 11:13; Gálatas 2:4).

Vivamos intensamente HOJE a realidade do “Cristo em vós, a esperança da glória” (Colossenses 1:27); do “Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus” (I Coríntios1:24); do pertencimento a Cristo (I Coríntios 3:23); da reconciliação com Deus por meio de Cristo (II Coríntios 5:18); do estar crucificado com Cristo (Gálatas 2:19); da unidade em Cristo (Gálatas 3:28,29); do Cristo formado em nós (Gálatas 4:19); da verdadeira liberdade de Cristo (Gálatas 5:1); etc.

Se vivermos Cristo HOJE intensamente, seremos legitimamente apelidados de cristãos (pequenos cristos) – Atos 11:26; I Pedro 4:16.

Fonte: www.anabatistas.ning.com