sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

As Principais Peculiaridades dos Anabatistas na Reforma

1. DISCIPULADO RADICAL: as implicações do discipulado coloca que o relacionamento com Cristo deve ir além da experiência interior e da aceitação de doutrinas. Deve envolver uma caminhada diária com Deus, em que os ensinamentos e exemplos de Jesus moldam um estilo de vida transformado. Um anabatista disse: “Ninguém pode verdadeiramente conhecer a Cristo a não ser aquele que segue-o em vida”. Isso significa obedecer as “palavras claras e vivas do Filho de Deus, cuja palavra é verdadeira e cujo mandamento é vida eterna”. Os anabatistas rejeitavam os juramentos devido ao claro mandamento de Jesus no sermão da Montanha: “De maneira nenhuma jureis: nem pelo céu(...), nem pela terra(...), ou por Jerusalém”(cf Mat 5.34, 35). Para os anabatistas não há gradações ao falar a verdade.

2. PRINCIPIO DO AMOR: Como consequência lógica do primeiro. Ao relacionar-se com não batistas reagiam como pacifistas; jamais lutar para defender-se de seus seguidores, nem tomariam parte da coerção exercida pelo Estado. A ética do amor se expressava dentro da comunidade na forma de ajuda mútua e redistribuição das riquezas(como ocorria com anabatistas na Morávia o Comunalismo Hutterita);

3. VISÃO CONGREGACIONAL: Nas assembleias anabatistas, todos os membros deviam ser crentes batizados voluntariamente pela confissão de fé pessoal em Cristo. Cada crente, então, era um sacerdote para seus outros irmãos e um missionário para os descrentes.

Por Pr.C.D.F.Lins
Missão Batista do Caminho no Brasil - 2011
www.anabatistas.ning.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário